11/07/2012

Zóia a Mais Bela Jóia (Parte 10)

Clica aqui e lê a nona parte


Perdida no meio do mato, e afogada nas suas mágoas, Zóia não sabia para onde ir nem o que fazer. Sempre que arranjava forças, levantava-se e continuava caminho para onde Deus a levasse.
Avistou uma estrada de terra batida. Reconheceu-a imediatamente! Correu o mais que pôde e enquanto as lágrimas lhe escorriam pela cara a baixo, gritava o mais que podia:
-Cheguei! Meu Deus cheguei!
Já não aguentava mais, mas mesmo a rastejar, com os pés, as pernas e os braços em carne viva, ela continuava, não iria parar até chegar ao fim daquele caminho!

Finalmente chegou. A sua casinha de madeira estava ali mesmo, entre as flores selvagens da pradaria.
Zóia já não se aguentava nas pernas e foi a rebolar pela colina abaixo.
A mãe dela saiu da casinha de madeira e foi em seu socorro, ajudando a filha a levantar e apertou-a tanto que Zóia não aguentou e vomitou.
-Desculpe, mãe não aguentei a promessa de não chorar...
-Sofres-te muito, não foi minha filha? Mas agora estás aqui!
-Mãe... A Cindy... ela... ela morreu!
Entre lágrimas, desespero e tristeza, mãe e filha abraçaram-se. O mau estado fisico e psicológico de Zóia chocavam a mãe. Mas algo mais a preocupava:
-Como chegas-te até aqui?
-Fugi... -Disse soluçando.
-O quê?! O teu tio não te vai perdoar! Zóia... ele vem buscar-te a qualquer momento! Ele sabe que virias para aqui...
Zóia caiu de joelho no chão. Abriu a boca para dizer algo e vomitou de novo. Algo não estava bem.
-Só espero que não tenhas a mesma doença que... a Cindy... Oh meu Deus! Porque levasteis a minha menina? Porquê?! -A mãe de Zóia ajoelhou-se perto dela e entre o triste choro, abraçou-a. -Ela também começou com vómitos, depois desmaios e por fim a febre! Filha, por favor, não me abandones tu também! Cura-te! Acho que deves ir para casa do tio Morris...
-Para quê?! Para morrer sem voltar a ver os meus pais? Foi assim que a Cindy morreu! Com a promessa de eu a trazer de volta á pradaria...
Num choro desesperado, as duas levantaram-se e entraram na casa.
Zóia passou a noite a chorar. Não conseguia dormir, e à hora de almoço não conseguira comer. Estava numa profunda depressão.
Na manhã seguinte um cavalheiro nobre bateu á porta. Apresentava-se como Ethan Othan:
-Pretendo falar com a senhorita Zóia Dail, ela encontra-se aqui, não é verdade?
-Bem... -O pai de Zóia exitou.
-Deve ser o pai dela, presumo, senhor Dail?
-Sim, eu mesmo... E você? Perdão... o cavalheiro?
-Ethan Othan, como já disse... Preciso de falar urgentemente com a sua filha... Por favor, meu futuro sogro, eu lhe imploro.
O pai de Zóia, agora demonstrava o seu espanto:
-Futuro quê?!
-Perdão... -Disse Ethan enquanto entrava pela casa a dentro. Correu a casa toda. Saudou a mãe de Zóia com a maior das gentilezas e até cumprimentou o cachorro, para que este parasse de ladrar. Ethan chegou finalmente ao quarto onde se encontrava Zóia. Uma belíssima dama deitada na cama, adormecida. Fora vencida pelo cansaço. Levemente, Ethan passa a mão pelo rosto dela... Suavemente, os seus lábios vão ao encontro dos de Zóia. Depois, sussurrou ao ouvido dela:
-Não via o seu belo rosto adormecido desde aquela noite...
Muito rápido, Zóia dá um salto e grita na sua respiração ofegante.
Arrombando a porta, aparece o pai de Zóia de caçadeira na mão:
-Afaste-se da minha filha, ou eu disparo, jovem!
Ethan olha para Zóia e calmamente diz:
-Agora eu sei onde a minha donzela está...
-Isso quer dizer que vai contar ao meu tio e virá buscar-me, não é verdade? -Concluíra Zóia na sua respiração acelerada entre soluços. -Eu odeio-o tanto!
O Sr.Dail pegou em Ethan e expulsou-o violentamente do quarto e em seguida da casa. Apontando-lhe a caçadeira disse:
-Não admito que façam mal á minha família! Se voltar cá, arrepender-se-á, jovem!
Dito isto, deu um tiro no ar, deixando Ethan muito desconfortável.

Dias e dias passaram, e em certa manhã, tio Morris apareceu para levar Zóia:
-O contrato foi este! Eu cuidaria das duas! Uma já foi, mas a outra ainda cá está, e enquanto estiver, pertence-me!
"Talvez fosse melhor eu não estar cá... Talvez eu deva ir ter com a Cindy... -pensou Zóia.

Foi obrigada a ir para a mansão Morris e casar com Ethan.
Catherin estava a prepará-la para a cerimónia. Olhava-a preocupada. Zóia parecia uma morta viva, pálida sem emoção nos olhos, sem reação como se fosse um corpo sem alma...

2 comentários:

  1. Qui lindo Bunny ç.ç
    Pobre coitada da Zóia.....já bastou ter sofrido tanto agora pode vir a morrer como a irmã ç.ç
    ---
    Gosto do pai dela!!
    "-Afaste-se da minha filha, ou eu disparo, jovem!" \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha xD
      Lembrei-me da Shibi nesse momento:
      Shibi: Oie velha, tudo?
      Bunny: Oie jovem, yah, e contigo?

      AHAHAHA XD

      Excluir

Se queres comentar:
☾ Nada de palavras indecentes!
☾ Se eu te conhecer, no comentário anónimo podes assinar no fim, por favor?^^
☾ Se quiseres falar comigo no msn podes adicionar:
bunnytsukino5@hotmail.com
☾ Diverte-te e comenta sempre que quiseres!

©