18/03/2012

O Que A Vida Não Me Dá...


Aparentava ter uns 15 anos... estava a passear á beira mar, os seus pés descalços caminhavam pela areia e de vez em quando uma onda os salpicava de água salgada...
Como era bela aquela menina... tinha uns longos cabelos castanhos e encaracolados, uns olhos castanhos cor de mel, muito vivos e expressivos, que de momento demonstravam tristeza, pois caíam lágrimas deles...
Eu sei o porquê de ela estar assim, o culpado sou eu...

Chamo-me Francisco, tenho 18 anos e amo aquela princesa que caminha lentamente pela beira da água do mar...
Vou contar-vos como tudo aconteceu...

Tinha eu 15 anos, quando mudei de cidade com o meu tio. Os meus pais morreram num acidente de carro, e o meu tio era o único familiar, de mim e do meu irmão mais novo...
Dei-me muito bem na nova escola... e o meu tio sempre me empurrou para criar amizade com a vizinhança...
Bom, eu dava-me bem com os velhotes do lado esquerdo do bairro, mas eu queria mesmo era conhecer a família Cront, que viviam do lado direito... Só me faltava coragem!
Muitas vezes observei da janela do meu quarto a única herdeira deles. Parecia tímida, e muito feminina, uma verdadeira dama. De facto, despertava-me um grande interesse, e uma enorme curiosidade de a conhecer...
Eu não sou tímido... mas com ela era diferente... cada vez que passava por aquela rua, o meu coração estremecia... Cada vez que passava por ela na escola, nem conseguia andar direito, confundia o pé direito com o esquerdo... ficava muito atrapalhado.
Certo dia...

Eram seis da manhã, levei o meu cão de raça Pastor Alemão chamado Dark, a passear á beira mar como faço todos os dias, e lá estava ela... uma bela donzela a caminhar á beira mar...
O Dark corre em direção dela, todo contente e fê-la cair na água...
Eu ri-me, e fui ajuda-la a levantar...
-Peço desculpa, perdoe-me por favor...
-Não faz mal, adoro cães!
Ouvi pela primeira vez a voz dela, tão doce e meiga... 
Sorriu-me ao mesmo tempo que eu a ajudava a levantar... o meu coração batia tão rapidamente que eu nem me lembrava que ela estava toda molhada... 
-Ah... o vestido está todo molhado! Perdão, mil desculpas! Eu compro-lhe um novo!!
-Não, deixe estar... e por favor, vamos tratar-nos por "tu". Chamo-me Miriam Cront, vivo numa mansão aqui perto, qual é o teu nome?
-S...sou o Francisco, mas podes tratar-me por Chico! Eu sei onde vives, és minha vizinha...
-A serio? Nunca tinha reparado... Bom, tenho de ir para casa trocar de roupa antes que apanhe uma gripe...
Eu estava tão atrapalhado... Tirei a minha t-shirt e entreguei-lha para as mãos, fiz uma vénia tão mal amanhada, virei costas e corri para casa, ao mesmo tempo que chamava o Dark...

Foi um dia inesquecível, lembro-me como se fosse ontem e nunca o irei esquecer...
Na escola, sempre que passava por mim, ela sorria-me e cumprimentava-me com um "olá"...
Mas não passava de isso, eu queria algo mais! Queria poder estar com ela todos os dias! Queria que fosse-mos mais inseparáveis! Sabia que tinha de tomar medidas...
Comprei um vestido, e fui até casa dela oferecer-lho... a cara dela quando me viu à porta, nunca me hei-de esquecer... ficou tão feliz que pensei que me ia abraçar, mas não. Suavemente pediu para eu entrar...
E entregou-me a minha t-shirt que lhe emprestei naquele dia.
Lanchámos juntos naquela grande mansão... era tudo tão bonito naquela casa, os candeeiros, as cortinas das janelas, a madeira das mobílias, realmente ela era uma menina rica, como se fosse a princesa do mundo, ou pelo menos do reino... não, ela era a princesa do meu coração!

Depois desse dia, marcámos muitos outros para nos divertir-mos juntos.
Todas as manhãs que me levantava ás seis horas da manhã para levar o Dark a passear á beira mar, eu encontrava a Miriam lá... Parecia que ela vinha de propósito só para me encontrar.
Passávamos as manhãs na praia, e muitas das tardes a fazer compras, ir ao cinema e até chegámos a ir juntos ao parque de diversões.

Passou-se um ano... pedi a Miriam em namoro enquanto passeávamos na praia, no Inverno.
Ela aceitou, abraçou-me, quase a asfixiar-me, com tanta alegria que até chorou!
Todos os dias passávamos o pôr-do-sol juntos, beijávamos-nos com o som das ondas do mar a bater nas rochas...

Passaram-se anos, estávamos juntos e felizes, jurávamos que era para sempre!
Até aquele maldito dia que saí do médico e descobri que tenho um problema...
Tenho cancro na cabeça... pouco tempo de vida, sem saber o que fazer.

Ontem acabei o namoro com a Miriam...
Nem lhe contei o porquê... simplesmente não quero que ela saiba, não quero que ela sofra.
Ela deve odiar-me neste momento.
Escorrem-me lágrimas pela cara a baixo enquanto a observo a caminhar á beira mar...
Ela também está a chorar... porque lhe feri o coração...

O lugar dela não é comigo... o destino assim o quis.
Eu não poderei fazê-la feliz. Espero que em breve um rapaz bonito e sincero cuide bem dela.
Amo-a tanto, com todas as minhas forças, mas não posso ser eu a estar ao lado dela...

Miriam, amo-te, espero que sejas muito feliz, perdoa-me por fazer-te sofrer, mas acredita que sofrerias muito mais se eu ficasse contigo, sabendo o problema que tenho...
Felicidade... é boa enquanto dura.


OBS: Parte desta historia é verídica, deixarei em segredo qual a parte...

12 comentários:

  1. Tão Linda a História T^T
    é Linda mas ao mesmo tempo muito triste!
    Mas adorei, tens muita imaginação e Criatividade ^^
    Gostei Muito!!

    Sayonara!!
    http://diario-anime.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^^
      Uma escritora tem de saber fazer todo o tipo de historias... até mesmo uma com final infeliz...

      Excluir
  2. Ooh Bunny-chi Ç.ç
    História muito triste...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sempre a vida é cor-de-rosa, né?
      ='(
      Tadinho do Francisco e da Miriam...

      Excluir
  3. Oh!! Tão linda a história!! É pena ter um final infeliz!!
    Bunny não fiques assim... só me apetece ir aí e dar um abraço de "urso"...
    *pegando na Bunny*
    Ai, toma lá um abraço da tua amiga Tri Ana!!
    Kisus!! <3

    ResponderExcluir
  4. ... Bunny, a tua tristeza toca-me com uma força que me comove... Bunny, deves estar tremendamente triste. Quando eu o estou, os meus textos saem assim...
    E essa coisa do amor foi a pior coisa que alguma vez conheci... Acabas sempre por sair magoada, mesmo sem ter começado uma relação...
    Eu também estou triste... Descobri uma coisa que me foi dita como se não fosse nada, mas assolou o meu coração e partiu-o.
    Espero que o tempo sare a tua ferida, e que acabes por te alegrar e ter um final feliz...
    Kissus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arigato nee-chan...
      Pois é... o amor é dificil de entender, mas quando ele te possui, tu acabas por entende-lo melhor ^^

      Excluir
  5. De nada, Bunny!
    Eu antes era parva, e pensava que coração partido era figurado... pensei mal...
    Espero sinceramente que sejas feliz!
    Kissus! Alguma coisa, pede! ;)
    Sim, sou a Hinata again!

    ResponderExcluir

Se queres comentar:
☾ Nada de palavras indecentes!
☾ Se eu te conhecer, no comentário anónimo podes assinar no fim, por favor?^^
☾ Se quiseres falar comigo no msn podes adicionar:
bunnytsukino5@hotmail.com
☾ Diverte-te e comenta sempre que quiseres!

©